SINDEP inaugura núcleo de saúde


Pesquisas denunciam que os índices de suicídio entre profissionais de segurança pública superam às mortes em decorrência de confronto armado. Além do suicídio, a maioria desses profissionais sofrem com distúrbio de sono, burnout, bipolaridade, estresse pós traumático, ataques de pânico e depressão. Há um verdadeiro adoecimento de policiais em nosso país.


Pensando nisso, o SINDEP/MG vem há algum tempo se empenhando para criação de um espaço que possa acolher tais profissionais que lidam diariamente com inúmeras preocupações inerentes à profissão, além, é claro das dificuldades comuns a todos os seres humanos.


Por isso, é com muita honra que finalmente comunicamos a criação do Núcleo de Saúde Mental. A partir de agora, filiados ao SINDEP contarão com profissionais da área de psicologia para atendimentos psicoterápicos, sendo disponibilizadas vagas sem custo e outras a preço social, na forma presencial e remota.


Trata-se de uma verdadeira conquista, para nós e para todos os nossos filiados!


Sobre a importância do cuidado com a saúde mental na área da segurança pública, leia o artigo da nossa Escrivã de Polícia, formada em psicologia e Coordenadora do Núcleo de Saúde, Míria Maia:


"Na área da segurança pública, um assunto urgente que devemos tratar, é sobre a saúde mental dos policiais brasileiros. Esses profissionais estão expostos, quase que, ininterruptamente, a estímulos estressantes inerentes à própria profissão, como risco de morte, baixos salários, desvalorização da classe, falta de reconhecimento da sociedade e das chefias, entre muitos outros. Ademais, os policiais ainda encontram em sua trajetória pessoal, desvinculados da área profissional, outros tantos percalços e contradições inerentes a todo ser humano.


Os policiais que não têm conseguido fazer uma conciliação satisfatória entre os diversos aspectos da vivência humana têm sofrido ainda mais que outros profissionais pois ocupam um lugar profissional em que sentimentos como o desamparo e seus desdobramentos: insegurança, fragilidade, medo, raiva, culpa, sentimentos de desamor e rejeição, vergonha ou inferioridade, vícios, tristeza ou apatia diante da vida provocam vergonha, isolamento e dificuldade de pedir ajuda e, assim, tristemente, temos assistido ao aumento drástico do número de suicídios nessa classe profissional.

No processo terapêutico, o compartilhamento de experiências melhora nossa capacidade de expressar sentimentos, nossa autoestima e o nosso aprimoramento nos papéis sociais. Além da melhora de sintomas, uma melhor compreensão da nossa natureza existencial é um fator que gera bem-estar e nos capacita a lidar com as pressões da vida de forma mais leve e satisfatória.


Começar um processo terapêutico ainda é um desafio para muitas pessoas. Por mais que os preconceitos estejam diminuindo é comum que os pacientes, dentre eles os policiais, tenham vergonha de fazer terapia. Para alguns, isso continua ligado ao estigma da loucura. Normalmente, as pessoas tendem a buscar possíveis “soluções” que só atrasam o tratamento psicológico, deixando de procurar um especialista por puro preconceito ou desinformação.


Nós, do SINDEP, entendemos a importância de se falar abertamente sobre essas questões e desmistificar preconceitos e, por isso, foi criado o Núcleo de Saúde Mental, em que profissionais da área da psicologia, estarão à disposição para atendimentos psicoterápicos buscando o bem-estar de seus filiados. Venham conhecer o núcleo e fazer parte dessa conquista, pois, o SINDEP somos todos nós!"


Para mais informações acerca do atendimento, entre em contato através do Whatsapp (31) 3566-3182 ou pelo e-mail secretariasindep@gmail.com.