FotoPaulo.jpg

Polícia & Pesquisa

Paulo Roberto Ribeiro Soares Junior

Estudante de doutorado em Engenharia Civil, mestre em Engenharia de Materiais pelo Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (2019) e graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais (2015). Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Materiais e Componentes de Construção, atuando principalmente nos seguintes temas: compósitos cimentícios, aglomerantes ecoeficientes e materiais álcali-ativados

Escrivão de Polícia

Central Estadual do Plantão Digital / PCMG

CURRÍCULO LATTES CNPQ :

Acesse o Instagram 

Resumo da pesquisa

Compósito cimentício de alto desempenho reforçado por fibras de aço submetido à variação controlada de temperatura

O presente trabalho avaliou o comportamento mecânico de compósitos cimentícios de alto desempenho reforçados com fibras (CCADRF), antes e após tratamento térmico. Para isso, foram moldados corpos de prova reforçados com 1%, 3% e 5% de fibras de aço em volume, utilizando a metodologia de calda infiltrada, após dispersão do reforço nos moldes. A concentração das fibras se deu na região sujeita à tração durante solicitações da flexão. Após a cura de 7, 14 e 28 dias, todos os exemplares foram ensaiados à flexão, sendo que a metade passou por tratamento térmico a 250°C, com aquecimento gradativo em forno elétrico. Foi observado que a exposição à temperaturas em torno de 250°C melhora o desempenho mecânico do CCADRF com a distribuição de fibras proposta. O compósito reforçado com 5% de fibras submetido a tratamento térmico apresentou resistência na flexão entre sete a oito vezes maior se comparado ao grupo controle sem reforço e sem aquecimento. Os resultados da análise estatística revelaram que o aumento da idade, o acréscimo do teor de fibras e a aplicação do tratamento térmico contribuíram para o aumento da resistência mecânica, tenacidade e deflexão. O ensaio de pull-out revelou que a ligação fibra-matriz é coesa e confirmou a influência do tratamento térmico no mecanismo de adesão fibra-matriz. As imagens obtidas por microscopia óptica e eletrônica de varredura ajudaram no entendimento da interface fibra-matriz, exibindo a superfície de ligação entre os elementos do compósito, e confirmou que o tratamento térmico promove alteração da superfície das fibras de aço. Os perfis de fissuração não exibiram um padrão definido e apresentaram delineamentos distintos, com distorções e tendência à inclinação, conforme o teor de fibras aumenta.